sexta-feira, 25 de setembro de 2009

A esterilização e a castração


A esterilização/castração ao ser um método definitivo de controlo de natalidade dos gatos, garante a inexistência de qualquer ninhada e elimina os comportamentos muitas vezes desesperantes e perigosos que acontecem nos períodos dos cios.
.
Quando não existe qualquer controlo de natalidade a gata poderá ter dezenas de gatos ao longo da sua vida, o que é, como é evidente, prejudicial à sua saúde, assim como os cios consecutivos ou a toma da pílula.

.
Nos períodos de cios as gatas e os gatos fazem tudo o que estiver ao seu alcance para procurarem parceiros. Nas situações em que o animal consegue sair de casa irá expor-se a riscos, muitas vezes fatais, tais como lutas graves, contracção de doenças, perigo de morte por atropelamento, perigo de nunca mais encontrar o caminho de volta.
.
Acresce que nos períodos de cio aos animais tem comportamentos muitas vezes perturbadores, tais como miados ensurdecedores durante a noite e no caso dos machos (e também algumas fêmeas) de marcação de território através da urina, que tem um cheiro muito intenso.
.
Algumas das vantagens da esterilização/castração:
  • Previne o aparecimento de doenças (tumores mamários, piómetras – infecções uterinas, etc.), que a pílula ou os cios sucessivos tornam mais frequentes;
  • Evita o stress e ansiedade que gatas e gatos sentem nos períodos de cio;
  • Elimina a hipótese de ninhadas: definitivamente não terá que se preocupar em arranjar donos para os gatinhos bebés que possam nascer em consequência de uma distracção na vigilância da gatinha
  • Os animais deixarão de ter as manifestações físicas do cio, o que significa o fim de noites sem dormir;
  • Elimina os problemas de marcação do território (urinar fora do wc);
  • Torna os animais mais dóceis e meigos;
  • vai reduzir consideravelmente as possibilidades de vir a perder o seu animal por este ter fugido na tentativa de acasalar;
  • Reduz as lutas (pelo território e pelas fêmeas);
  • Impede que os gatos contraiam doenças sexualmente transmissíveis.
A esterilização/castração é uma intervenção cirúrgica e, portanto, tem riscos, que variam de intensidade. Mas qualquer veterinário lhe dirá que o risco de esterilizar uma gata/gato é muito reduzido.
.
Quando deve esterilizar?
.
Em regra, existe consenso quanto à idade de esterilização das fêmeas (6 meses), podendo ser efectuada antes do 1º cio. Algumas gatas têm cios antes desta idade, geralmente pouco expansivos.
.
No caso dos machos, as opiniões dividem-se quanto à idade ideal para a operação. Mais recentemente, alguns veterinários começaram a defender a castração com idade inferior a 6 meses.
.
Quais os riscos com que deve contar?
.
Amamos os nossos animais e por isso é natural a ansiedade e preocupação em os submeter a uma operação. Sabemos que muitas pessoas não operam por medo de que o animal possa morrer. Talvez seja até um dos motivos mais frequentemente apontados pelos donos, para adiar “até nunca”, a esterilização.
.
A esterilização/castração é uma intervenção cirúrgica e, portanto, o risco existe. Qualquer intervenção cirúrgica tem riscos, que variam de intensidade. Mas qualquer veterinário lhe dirá que o risco de esterilizar uma gata/gato é muito reduzido.
.
A castração do macho é uma intervenção mais simples, por isso os riscos são deveras insignificantes.
.
Quando ocorrem problemas no pós-operatório, a maior parte das vezes são consequência de outro tipo de problemas de saúde (por exemplo, quando se verifica que a gata já tinha desenvolvido infecções ou quistos) e isso significa que provavelmente, ao ser operada, a sua vida foi salva.
.
O pós-operatório nos machos é muito simples e rápido e no dia seguinte estão a 100%. Nem parece que foram sujeitos a qualquer intervenção.
.
A operação nas gatas é mais demorada e o pós-operatório pode demorar alguns dias. Significa, em regra, que ela já vai andar no dia seguinte, passados 2 dias estará razoavelmente bem (varia de caso para caso, porque uma das nossas gatas, no dia seguinte, já andava aos pulos em cima dos armários da cozinha, mesmo com o incomodativo funil enfiado na cabeça) e ao fim de 4 dias ela vai estar praticamente normal.
.
Os animais possuem uma incrível capacidade de recuperação.
.
Algumas boas razões para esterilizar a sua gata ou castrar o seu gato:
.
Para além das vantagens que já identificámos, gostaríamos de concluir este texto apresentando outro tipo de razões que devem pesar na decisão de controlar a reprodução dos seus gatinhos de estimação.
.
Gostamos de nos animar, pensando que existem tantas histórias felizes de gatinhos, bebés e adultos, para quem foi possível encontrar um final feliz.
.
Este Site, frequentado por muitas dezenas de pessoas que amam os seus gatos, mas também os que são de todos e de ninguém, e que dedicam parte do seu tempo e energia a procurar salvá-los de um fim triste, está repleto de histórias que nos enchem o coração, nos fazem sentir que não estamos sós nesta luta e que são cada vez mais aqueles que se preocupam e sobretudo, que agem em prol dos animais abandonados.
.
Quantas vezes esse final feliz foi conseguido à custa de sacrifícios pessoais, monetários, de noites sem dormir, de dias de férias perdidos. Mas tudo vale a pena quando no fim, mais uma vida foi salva e mais um animal conseguiu encontrar um lar.
.
Mas há um lado negro que nenhum dos que todos os dias lutam para salvar estas vidas pode esquecer, um lado que nos faz sofrer e, porque não admiti-lo, por vezes vacilar, desanimar, perder as forças para seguir em frente: por cada uma destas histórias com um final feliz, quantos animais não sofrem todos os dias, alguns em agonia, atropelados, vítimas de doença, desfalecendo a um canto qualquer das nossas ruas até que o coração cansado deixe de bater, morrendo na maior das solidões nos gatis onde são entregues ou abandonados?
.

Ninguém sabe ao certo o seu número, mas todos sabemos que são muitos milhares de pequenas vidas a quem não foi possível estender uma mão, ou para quem esta chegou tarde demais.
.
Na verdade, a «abundância» de animais reduziu para quase nada o valor que é atribuído à sua vida. Cada vez com mais frequência se podem encontrar gatos (e cães) de raça para adopção: ou porque foram abandonados, ou porque são tantos que já ninguém quer comprar e por isso, também para estes a solução é a adopção ou o abate.
.
Uma vida não pode nem deve ser banalizada. E uma das formas que temos de voltar a lembrar esse facto às pessoas, é contribuir para que estas vidas não sejam um bem em abundância, disponíveis em todas as formas e feitios, como se de objectos se tratassem.
.
Ao impedir que a sua gata tenha ninhadas ou que o seu gato seja responsável por algumas ninhadas de gatos nascidos na rua, está a aumentar as possibilidades de que os gatinhos condenados a morrer nos gatis municipais (onde são abatidos) e Associações (de doença ou velhice, onde passam toda uma vida presos), possam também sonhar em viver uma vida feliz.
.
Você não pode salvar ou adoptar todos os animais que estão nos gatis, mas indirectamente, pode contribuir para que:
  • Diminua o número de animais que nascem nas ruas e são capturados para abate – para tal, basta que impeça o seu gato de dar voltinhas nas redondezas, se ele não estiver castrado;

  • Aumentem as adopções de gatos que estão na fila de espera para abate nos gatis municipais ou esperam por um lar (que tantas vezes nunca chega), nas Associações de protecção.
A opção é sua.
.
Pense na saúde e bem estar do seu gato/a. Não deixe também de pensar na vida dos outros gatinhos, que não tiveram a sorte de ter um dono responsável, ou que nasceram na rua, e que precisam de lares para terem uma chance de viver.
.
E sobretudo, fale com quem optou por esterilizar os seus animais e troque experiências. E claro, não descure a opinião do seu veterinário.
.
Esperamos ter contribuído para esclarecer algumas dúvidas sobre as consequências e efeitos da esterilização dos gatos e, de alguma forma, permitido que possa decidir em consciência sobre essa opção, que é sua e não pode, nem deve, ser imposta.
.
Pense nos largos benefícios (não só para os seus animais, mas para a comunidade felina no seu todo) e diminutos riscos, e decida.
.
Se as dúvidas persistem, informe-se e esclareça-se.
.
Pela saúde e bem-estar dos seus animais.
.
Por uma hipótese de futuro para os gatos abandonados.
.
Autoria: Adélia Costa e Filipa Bastos

1 comentário:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.